Desejo e Reparação (Atonement – 2007)

Atonement

Keira Knightley interpreta Cecília Tallis

Magnífico! Esse adjetivo define bem “Desejo e Reparação” (Atonement – 2008). O filme une dois pontos decisivos para ser primoroso: técnica singular e narrativa ousada. Somam-se a isso as atuações do elenco escolhido criteriosamente. Destaque para a atriz Saoirse Ronan, interpretando a personagem principal, Briony, aos 13 anos. Após a sua estréia como diretor em “Orgulho e Preconceito” (Pride and Prejudice, 2005), Joe Wright foi o responsável pela adaptação da obra “Reparação”, do autor Ian McEwan, e prova que sabe contar histórias como ninguém.

“Desejo e Reparação” trata de vários temas, como o amor impedido, remorso, o sofrimento da guerra, amizade. Entretanto, o ponto crucial da trama é a imaginação e o poder de uma história bem contada. A escritora do filme é Briony Tallis, interpretada por: Saoirse Ronan na infância, Romola Garai na adolescência e Vanessa Redgrave na maturidade. De imaginação muito fértil, ela é capaz de transmutar a realidade para uma perspectiva que mais a agrade.

Em sua segunda parceria com Joe Wright, Keira Knightley interpreta Cecília, a irmã de Briony. As duas personagens têm mais coisas em comum do que o sobrenome: a paixão secreta pelo filho da empregada, Robbie Turner (James McAvoy). Ele é tratado de maneira esnobe por Cecília, até que os dois se aproximam em um incidente na fonte do jardim. Briony assiste a tudo e sente-se traída pelo rapaz. A partir daí, o rancor da garota só aumenta, fazendo com que ela se aproveite da primeira oportunidade para incriminar Robbie.

Acusado de abusar sexualmente de Lola (Juno Temple), prima de Cecília e Briony, Robbie é preso. Depois de alguns anos, alista-se no exército. Nessa época seu caráter honrado se salienta, o que dá uma aura de herói a ele. Mesmo sofrendo com os horrores da guerra, Robbie não vai perder a esperança de retomar a vida de onde parou e poder viver intensamente o amor interrompido.

O romance do casal não chega a convencer. Não existe um aprofundamento nas características dos personagens e isso não gera uma grande empatia. Acredito que eles não sejam o elemento fundamental do filme. O que é mais esperado é saber a repercussão da mentira contada por Briony e como ela vai se redimir disso.

A tensão é permanente, o que afasta qualquer possibilidade de “Desejo e Reparação” ser tedioso. Apesar dos cortes agressivos de edição (como a transição do ambiente de guerra em Dinkirk para o Hospital St Thomas), a intensidade do filme se sustenta. O mesmo acontecimento é mostrado de diferentes pontos de vista, o que auxilia na compreensão da trama. Como quando Briony vê o casal na fonte.

Para os que abominam a estética da velocidade de videoclipe, a cena em que Robbie chega à Dirkirk é um prato cheio. São mais de 5 minutos de um plano-sequência que já valem todo o filme. O lugar está um caos: militares bêbados e feridos, destruição, animas sendo sacrificados, falta de água. São em torno de 5 mil pessoas esperando, seja para voltar para casa, seja para morrer. Alguns já não têm mais esperança, outros cantam hinos de louvor. Tudo tem uma beleza épica inebriante.

A trilha sonora, a cargo de Dario Marianelli, endossa a atmosfera dramática fazendo uso de elementos inusitados como o som das batidas nas teclas da máquina de escrever. Os figurinos também são dignos de observação. A fluidez dos vestidos usados por Keira Knightley e Saoirse Ronan dá movimento, leveza e um ar etéreo em certos momentos.

Cores, sons, texturas. É uma festa para os sentidos assistir esse longa. Desde as estampas da parede da casa até o cheiro das comadres do Hospital, tudo é muito forte e muito vivo. Isso faz de “Desejo e Reparação” uma experiência sensorial completa.

“Desejo e Reparação” é o mergulho na mente inventiva de uma escritora. Alguém de posse de uma força capaz de controlar destinos, separar amores e, inclusive, cometer injustiças e se arrepender. É como um passeio no safári. Você fica lá sentado assistindo sem poder mudar nada. Quem faz as escolhas não é você, é ela, a dona da máquina de escrever. Briony escreveu e só nos resta ler e apreciar. É uma pena não ter levado todos os Oscars a que concorreu.

Trailers e mais informações em: http://www.cinemacomrapadura.com.br/filmes/2243/desejo_e_reparacao_(atonement_2007)

Fotos: Divulgação

James McAvoy vive Robbie Turner

James McAvoy como Robbie Turner

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s